Gato castrado não tem compaixão

08/04/2010

Heitor faz o de sempre. Ao me ver no sofá, com laptop no colo, se aproxima e escala. Passa ao largo do computador, amacia minha barriga como se uma almofada e deita. Cabeça no meu peito, olho no olho, quase bigode a bigode. E ressona.

Deixo o bicho lá, sossegado no lugar que lhe é de direito. Ergo a cabeça, desço um pouco o laptop e sigo torto a escrever. Tarefas cumpridas, e brota um surto de amor ao próximo. Abraço-o com força, dou-lhe um cheiro no cangote laranja.

Contra-ataque instantâneo: miado wolverine e arranhões na fuça. Quase me tira o gordo da orelha. Esfolado, seguro o computador, balanço, mas não caio. Emputecido, Heitor pula fora, vai fazer macio noutro lugar.  Na saída, ainda pisa no meu saco.

Anúncios

6 Respostas to “Gato castrado não tem compaixão”

  1. Flávia Says:

    Adorei tudo, mas é claro que preferi deixar o comentário no post que tem o meu amigo Heitor. Se você prometer citá-lo outras vezes, vou virar visitante cativa 🙂
    Beijos


  2. Depois você diz que não faz piadas.
    (Ou não era uma piada???)
    🙂

  3. Mayra Says:

    inventa de dar amor, é assim que acaba…

  4. iza Says:

    heitor 1, léo 0. adorei.
    viva o reino animal.
    : )


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: